sexta-feira, 25 de setembro de 2009

FESTA DA TAINHA - BERTIOGA

A Festa da Tainha é um evento tradicional, realizado pelo Lions de Bertioga desde 1978. Por ser também um incentivo à manutenção da cultura da região, a festa passou a fazer parte do calendário oficial de enevtos da Cidade. Realizada anualmente, agora a Festa da Tainha voltará à ser realizada na Praça de Eventos da Cidade, ao lado do Forte São João em Bertioga.
O Cardápio:Tainha assada, arroz, farofa, pão e molho vinagrete compõem o prato típico preparado com tempero e carinho especiais, e em quantidade para servir bem 3 pessoas. Os convites podem ser adquiridos no próprio local da festa ou antecipadamente, inclusive com possibilidade de reservas para grupos de amigos, executivos, turistas, da Melhor idade, etc.
No mês de Julho, todos sabem que o cheiro de Tainha assada na brasa e servida na telha está no ar de Bertioga. A procura pelo prato típico da região é grande. Cerca de 30 mil pessoas são atraídas durante o período da festa, consumindo aproximadamente 6 toneladas de tainha. Vale a pena participar.....é maravilhoso e saudável.rsrs

HISTÓRIA DE BERTIGOGA - 2009



Sempre fui a Bertioga, mas não tinha ainda conhecido a história de perto, e minha amiga Eliane Oliveira tem uma casa lá, me convidou e me proporcionou mais uma aventura recheada de cultura.
Antes da chegada dos portugueses, Bertioga era habitada por índios da tribo tupi-guarani, que chamavam o local de “Buriquioca” (morada dos macacos).
Bertioga, como todo litoral paulista, possui vestígios da ocupação pré-histórica, comprovados pelos diversos depósitos de calcários existentes na região.
Esse tipo de sítio arqueológico, a que damos o nome da Sambaqui, constitui-se de grandes quantidades acumuladas de conchas de moluscos marinhos e terrestres, misturados com instrumentos de pedra e ossos e esqueletos ou parte de esqueletos humanos e de animais que representam testemunhos da cultura dos paleoamerídios do Brasil.

Da chegada de Pedro Álvares Cabral - em 1500 e após três décadas -, as poucas povoações em terras brasileiras eram as feitorias de embarque de pau-brasil. Bertioga foi visitada desde o início da colonização pelos portugueses, acredita-se que antes mesmo da fundação de São Vicente, primeira Vila do Brasil, fundada em 1532 por Martim Afonso de Souza.

Neste mesmo ano, João Ramalho teria vindo à cidade a fim de verificar a possibilidade de estabelecer no local uma fortificação para defender São Vicente dos ataques tamoios. Assim como em vários pontos da costa brasileira, aqui foram construídas as paliçadas de um fortim, tarefa atribuída a Diogo de Braga e seus filhos. Essa paliçada primitiva daria origem mais tarde – primeiro em 1531 e, após sua destruição, causada por um incêndio provocado por ataques indígenas, em 1547, quando foi transformado em alvenaria - ao que é hoje o cartão postal de Bertioga: o Forte São João.
A fortaleza, considerada a mais antiga ainda erguida no Brasil, é um patrimônio histórico, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1940.

Uma das figuras mais importantes para a história de Bertioga foi, sem dúvida, o artilheiro alemão Hans Staden, que, através de suas obras, deixou gravadas, além das várias observações a respeito da terra, fauna, flora e civilizações indígenas locais, importantes indicações sobre o desenvolvimento histórico do país no século XVI.

Hans Staden fez duas viagens ao Brasil. Na primeira, em 1547, foi nomeado condestável do Forte São Felipe que, juntamente com o Forte São João de Bertioga, era responsável pela defesa da Vila de São Vicente. Capturado pelos tupinambás, permaneceu prisioneiro entre eles por cerca de nove meses.


Foi também de Bertioga que, em 1565, Estácio de Sá e sua esquadra saíram para fundar a cidade do Rio de Janeiro.

Bertioga foi, até 1943, região livre e soberana. A história da dominação santista tem início em 1944, quando o então governador do Estado, Ademar de Barros, decretou a anexação de todo litoral norte a Santos.

Em 1946, a prefeitura de Santos elevou Bertioga à condição de sub-prefeitura. No fim da década de 70, o desenvolvimento da região intensificou-se, devido à abertura das estradas Mogi-Bertioga e Rio-Santos.
No dia 19 de maio de 1991, realizou-se o plebiscito que confirmaria a autonomia do Distrito, transformando-o num dos mais novos municípios paulistas.

Realizada a primeira eleição no dia 03 de outubro de 1992, Bertioga consolidava sua autonomia, elegendo seu primeiro prefeito.

fonte: http://www.bertiogasp.com.br/historia.asp

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA - SÃO PAULO


O tema central do museu é a língua portuguesa – a base da cultura brasileira. Trata-se de um museu vivo da
língua, onde os brasileiros podem se reconhecer e se conhecer melhor; lugar que evoca a especificidade e a riqueza da língua portuguesa do Brasil e busca, assim, reforçar o sentimento de pertencimento e responsabilidade com o país.
O objetivo maior é fazer com que as pessoas se surpreendam e descubram aspectos da língua que falam, lêem e escrevem, bem como da cultura do país em que vivem, nos quais nunca haviam pensado antes. Que se espantem ao descobrir que sua língua tem todos aqueles aspectos ocultos. O alvo é a média da população brasileira, mulheres e homens provenientes de todas as regiões e faixas sociais do Brasil e cujo nível de instrução é, na maioria, médio ou baixo.

Essas pessoas utilizam o português – sua língua materna – das mais diversas maneiras: comunicam-se com muita criatividade, usam neologismos, inventam imagens, têm humor. Operam a língua com muita soltura, mas não têm idéia de sua história, de como ela se construiu e continua a construir-se. Deseja-se que, no museu, esse público tenha acesso a novos conhecimentos e reflexões, de maneira intensa e prazerosa.

Localizado no Bairro da Luz, o prédio centenário da Estação da Luz constitui um dos mais importantes marcos históricos da cidade de São Paulo.
O prédio tem um traçado arquitetônico engenhoso e bastante peculiar. Foi construído pelos ingleses e inaugurado em 1901, em pleno ciclo do café, com o intuito de levar a produção das lavouras do interior do estado até o Porto de Santos – canal de saída para a Europa, principal consumidora da bebida brasileira.
Hoje, mais de 100 anos depois de sua inauguração, a Estação da Luz ainda é considerada um símbolo da riqueza do café e um dos mais importantes monumentos arquitetônicos de São Paulo.
Em suas novas funções como centro de valorização de nossa língua, o Museu da Língua Portuguesa deve se transformar numa referência que coloque o entendimento da língua – e não apenas da língua falada no Brasil – em um novo patamar. Espera-se que as pessoas venham a São Paulo para viver essa experiência nova
Mas o que pode levar as pessoas a viverem essa experiência – ou seja, a tomarem consciência de sua cultura através do conhecimento de sua língua?
O museu organiza um vasto conjunto de informações a partir de alguns eixos centrais. O primeiro deles é a antiguidade da língua portuguesa, uma língua de milênios. Isso implica retraçar brevemente a trajetória da língua, desde o Lácio, em Roma, até sua chegada no Brasil, depois de passar por outras partes do mundo.
O segundo eixo é a universalidade da língua portuguesa. A idéia de globalização surgiu após Portugal ter chegado na África, Índia e Ásia, com as grandes navegações. A viagem de circunavegação revelou a esfericidade da Terra. E o português foi introduzido em vários pontos do planeta.
É preciso lembrar que universalidade, nesse caso, não significa que o português seja a língua mais falada no mundo, embora o idioma seja usado hoje por 270 milhões de pessoas.
O terceiro aspecto destacado aqui é a mestiçagem da língua. O idioma falado no Brasil é tão misturado quanto a cor da pele das pessoas e a cultura do país. Assim, ele também está marcado pelos encontros e desencontros de povos e signos, por convergências e conflitos, por contradições e desigualdades. No Brasil, a língua, como as raças, amalgamou-se, dando unidade ao país.

Foi também a língua que, de certa forma, desenhou os limites do território brasileiro, com suas dimensões continentais: um brasileiro da Região Sul entendese perfeitamente com um brasileiro da Amazônia, apesar de ambos viverem em realidades culturais totalmente diferentes.
Também os norte-americanos de todo o território dos EUA se entendem em uma unidade lingüística admirável. A diferença de nossa unidade lingüística, porém, é o altíssimo grau de mestiçagem que constitui o português do Brasil. Não se trata apenas de padrões de fala ou ritmos diferenciados. Na verdade, há aqui uma alta carga de palavras não portuguesas – basicamente indígenas e africanas – que foram incorporadas ao uso cotidiano e estão presentes em nosso vocabulário.
Um quarto aspecto abordado no museu diz respeito ao fato de que a língua portuguesa do Brasil está incessantemente construindo mundos, através das artes. A língua é a matéria-prima por excelência da literatura e da poesia, e compõe também as artes visuais, o teatro, a música e as artes plásticas.
O que quer e o que pode essa língua, pergunta o poeta? E aqui abre-se um universo extenso de referências: é Guimarães Rosa e Machado de Assis; é o cordel e João Cabral de Mello Neto; é Drummond e Bandeira; Mario e Oswald; são os irmãos Campos e Caetano Veloso; padre Vieira e Gregório de Mattos; Chico Buarque e Glauber Rocha; Luiz Gonzaga e os samba-enredos; Wally Salomão, Marcelo D2 e Patativa do Assaré. A lista parece não ter fim.

Ao mesmo tempo, a língua estrutura nosso cotidiano em todo o país. Do jornal diário aos grafites das ruas, das juras de amor aos manuais, dos outdoors às placas de ônibus, das bulas de remédio às novelas e propagandas de TV, estamos imersos em um imenso manancial de informações veiculadas através da língua que falamos, lemos e escrevemos.
Convivem no Brasil de hoje inúmeras variantes da língua, decorrentes das experiências regionais e locais, de especificidades socioculturais e dos cruzamentos que se vêm fazendo ao longo do tempo, com contribuições múltiplas. Somadas, constituem o português do Brasil. Uma língua que está em intenso movimento, recriada de diferentes maneiras e diariamente, em cada recanto do país.
A língua é um instrumento privilegiado para a transmissão organizada de conhecimentos. A linguagem oral e a escrita produzem e reproduzem incessantemente novos e velhos significados, criando e recriando as sociedades, sejam elas tradicionais, sejam modernas. Ela é também a língua da história, das ciências e da educação.

Fonte: www.museudalinguaportuguesa.org.br

JARDIM LUZ - SÃO PAULO - 2009



O Jardim da Luz é o mais antigo Jardim Público da cidade, este parque tem especial significado para a história de São Paulo. Data de 1798/99 a idéia de estabelecer o "Jardim Botânico da Luz", sua inauguração, porém, só aconteceu em 1825 e era o único local de divertimento e descanso da população. Sua utilização como "Jardim Botânico" logo foi abandonada e, em 1838, tornou-se simplesmente um "Jardim Público". Data de 1875 a solução definitiva para o abastecimento de água do parque, que vinha passando por modificações desde 1868. Nessa ocasião o Jardim já encontrava-se totalmente cultivado e arborizado e foram implantadas também as 4 estátuas, representando as estações do ano, e as 2 referentes à mitologia – Vênus e Adonis – vindas do Rio de Janeiro.

Muito importante também foi a nomeação, no início do século, de Antonio Etzel como administrador do Jardim da Luz, pois foi ele quem introduziu um novo traçado para o Jardim, como ruas circulares arborizadas, grandes gramados ao estilo inglês e bosques, bem como construiu a nova residência (1901), o Coreto (1902), o quiosque (1903), formou um "mini-viveiro" onde cultivava plantas e flores que eram transplantadas para os canteiros dos jardins e um "mini-zoológico", com capivaras, veados e aves exóticas, entre outros.

Etzel administrou o parque até 1930 e, a partir desse ano, com a retirada dos muros e gradis e dos animais que compunham o zoológico, o Jardim da Luz entrou em processo de deterioração, tornando-se, cada vez mais, simples local de passagem. Em 1972 o Jardim recebe novo tratamento de limpeza e recuperação e é novamente cercado com grades e portões, passando para a administração do DEPAVE e recebendo a denominação de "Parque da Luz". A área é tombada pelo CONDEPHAAT através da Resolução nº 31, de 08/08/81, e pelo CONPRESP através da Resolução nº 05/91 tombamento "ex-offício". Seu uso é regulamentado pelas Portaria nºs 23/Depave/78 e 95/DEPAVE/83.

Área

O parque tem totais 81.758 m2, entre os quais 48.376 m2 de vegetação implantada, 29.422 m2 de caminhos, 3.068 m2 de lagos e 892 m2 de edificações.

Flora

Extremamente diversificada, a vegetação do parque é composta, em sua maioria, por espécies exóticas e algumas nativas. São árvores que chamam a atenção por seu porte e exuberância, proporcionando um espetáculo interessante aos que contemplem suas alamedas. Destacam-se principalmente o chichá, a nolina e o pau-ferro, localizados próximo à administração e coreto; as figueiras, próximas à lateral da Pinacoteca, Parque infantil e Ponto chic; as palmeiras reais espalhadas pelo parque; o alecrim de campinas, na alameda principal da entrada; e a rara Brownea ou sol-da-Bolívia e o eucalipto vermelho, perto do playground.

Fauna

Foram catalogadas mais de 40 espécies de aves, entre elas sabiá-laranjeira, sanhaço, chupim, bem-te-vi, periquito verde e rolinha-caldo-de-feijão, além de algumas aves aquáticas, como socó-dorminhoco e biguá, e ornamentais, como marreco-mallard e galinha d'angola. Foram detectados ainda alguns peixes (carpas e tilápias) nos espelhos d'água e dois exemplares de sagui-de-tufo-branco, que são originários do nordeste brasileiro. O destaque, porém, é para as 6 preguiças que vivem na chamada alameda de figueiras, espécie que provavelmente habita o parque desde a época em que era "Jardim Botânico".

Infra-estrutura

Área para apresentações na praça do Ponto Chic; coreto; bicicletário para 10 vagas; 2 comedouros para pássaros; 21 bebedouros; sanitário; 19 lixeiras; 3 mesas; 166 bancos.

Lazer

2 playgrounds; tanque de areia.


Paisagem

2 espelhos d´água, 2 lagos.

Freqüência de Usuários

Terça a sexta-feira:1.000
Sábados:3.000
Domingos e feriados:3.600

Endereço

Praça da Luz s/nº Bom Retiro CEP: 01122-000 Tel. (0xx11) 227-3545
Horário de Funcionamento: de Terça a Domingo das 10h às 18h
Situado na área de atuação da Administração Regional Sé
 fonte: http://www.sampa.art.br/parques/jardim_daluz.php

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

- VIDEO - O ESPIRRO

CHARGE SOBRE A GRIPE ' A'







Não consegui resisitr à tentação de postar aqui essa CHARGE do Amarildo, publicada no jornal "A Gazeta":

VAMOS JOGAR E APRENDER - GRIPE SUÍNA

Descrição do Jogo: O mundo fala e respira a tão temida gripe suína e este joguinho de humor onde você contamina várias pessoas é para você se divertir mas ao mesmo tempo levar em consideração que nos lugares públicos é muito fácil de pegar essa doença.Divirta-se com este jogo da gripe suína, mas não esqueça virtualmente é uma brincadeira, mas na vida real é coisa seria.
Como jogar: Use o mouse e barra de espaço






Jogos em Miniclip.com - Sneeze
Sneeze

Você é um vírus infectando outros humanos, faça o seu humano espirrar e infectar outros.

Jogue este jogo grátis agora!

Aprendendo Jogando : Gripe A

Conheça o game da gripe suína. Para ter sucesso você tem que vacinar todos os porquinhos de modo que eles fiquem saudáveis. Use o mouse para jogar o jogo da Gripe Suína. Aperte o botão esquerdo do mouse para vacinar os porquinhos.

A Gripe SUína, H1N1,é causada por um tipo de vírus que normalmente não afeta as pessoas. Mas o que estamos vendo agora é muito diferente disso. O vírus é contagioso e pode se espalhar de humano para humano. Os sintomas da gripe suína nas pessoas são semelhantes aos sintomas da gripe humana regular e incluem febre, tosse, dor de garganta, dores corpo, dor de cabeça, calafrios e fadiga.

Para evitar que a Gripe Suína se transforme em uma pandemia seja rápido no botão do mouse!




heyzap.com - embed games

Jogo Gripe A

Bem vindos a fronteira do México. Nós somos a primeira linha de defesa contra a gripe mortal, praga que esta prestes a dizimar o mundo. Você deverá arremeçar estes porcos o mais longe possível. Boa Sorte!!!


Gripe Suína - Swine Flu - Jogue o Porco
Gripe Suína - Swine Flu - Jogue o Porco

quinta-feira, 30 de julho de 2009

segunda-feira, 22 de junho de 2009

VISITA AO MASP - 2


Há um bom tempo estou trabalhando sobre reciclagem com os alunos a fim de concientizá-lo para um mundo melhor. E agora com esta visita ao Masp, não acreditei no que estava vendo... a cameçar pelo tema da chamada, vejam vocês. rsrs.

Masp tem exposição com 131 obras de Vik Muniz

É a maior mostra já dedicada à obra do artista plástico paulistano, conhecido pelo uso de materiais inusitados. Depois de passar pelos Estados Unidos, Canadá, México e Rio de Janeiro, chega ao Masp a mostra Vik. A exposição traça a trajetória do paulistano, um dos maiores nomes da arte contemporânea mundial, com 131 de suas obras, feitas com técnicas variadas e materiais inusitados. Entre os trabalhos estão retratos como o de Che Guevara desenhado com geleia e o de Elizabeth Taylor montado com centenas de pequenos diamantes. ( muiiiiiiiito lindo ...)




A exposição tem ainda três vídeos realizados pelo fotógrafo Fabio Ghivelder, com registros do processo criativo de algumas séries do artista. Um desses vídeos é exibido em um monitor de plasma no chão para que o espectador possa compartilhar o ponto de vista de Muniz ao fotografar, de cima, as obras da série Pictures of garbage (onde catadores de lixo encarnam personagens de obras consagradas, recriadas com o material recolhido do próprio aterro sanitário onde trabalham).



Filho de um garçom e uma telefonista, Vik Muniz nasceu e foi criado em São Paulo, mas mudou-se para os Estados Unidos inesperadamente em 1983. A oportunidade de mudança de país surgiu após um acidente. Depois de apartar uma briga na rua, Muniz acabou sendo atingido por um tiro na perna. O autor do disparo era a vítima e, para compensar o transtorno, o homem ofereceu-lhe uma quantia em dinheiro, o que financiou sua viagem. Hoje é este fenômeno... vale apena ver e se impressionar como eu e meus alunos. Agora voltando para no nosso núcleo percebemos o quanto podemos fazer para ajudar a "SALVAR NOSSO PLANETA".

A que eu mais gostei foi o mapa mundi feito de sucata de computadores rs.rs. será por que trabalho no laboratório de informática?.

Museu de Arte de São Paulo









São Paulo - MASP





É estranho pensar que moro à varios anos em São Paulo e no entanto ainda não tinha ido ao MASP, até tentei ir ver as obras de Monet mas como era o último dia as filas estavam quilometricas, por isso desisti, mas agora resolvi ir com os alunos. A professora Eliane da Sala de Leitura estava planejando há algum tempo e na sexta-feira dia 18 de junho de 2009, de manhã, fomos a este "tur cultural" visita o Masp. Às 10:00 já estávamos na Paulista. Como eu gosto dessa avenida. Eu nunca havia ido ao Masp. Acho que só a arquitetura vale. Aquele vão-livre é de um bom gosto sem tamanho, a simplicidade das linhas e os pilares que deixa uma estrutura quadrada tão leve.E eu sabia, que daqui a pouco eu ia ver um Monet e um Picasso. Nossa... chegamos o nome da obra é "A Canoa sobre o Epte "é impressionante a pintura de perto é difusa e à medida que você se afasta ela ganha definição. Eu sei que essa técnica tem um nome, mas eu não sei mesmo. Também vimos o Picasso fase azul que havia sido roubado e vários outros artistas.


sexta-feira, 12 de junho de 2009

O amor é cego rsrs.

Lembra quando nós nos conhecemos, eu não era assim.
Eu não esperava me apaixonar. Eu estava distraída e nem percebi que meu mundo já tinha mudado.
Tudo aconteceu tão rápido que eu nem sei como me paixonei.
Seria tão fácil te dizer eu não vou me prender, mas isto foi antes de te encontrar.
Hoje sem você eu ja não sei viver, eu ja nem sei quem sou.
A única certeza que tenho é que não estou sonhando e sei que em algum lugar nossos caminhos se cruzaram e não foi por acaso, então sugiro que deixemos as fantasias se realizarem, sei que não é sonho, mas se for deixe eu fazer o meu sonho real, pois o quando penso em você isto não é normal, só lhe peço que não me leve a mal, mas o amor chegou e não depende só de mim, você ja me conquistou... a vida é assim...
Ainda não sei o que há entre nós, mas uma coisa eu te peço, vê se fica comigo, assim como nos filmes com final feliz, é só olhar para mim e ver o quanto eu quero você. Quando estamos juntos eu me perco tentando dizer o que sinto, mas nunca vou esquercer o bem que você me fez.
Ass: Eu

Amor Dramatico


Onde estas meu amor? Passo horas a imaginar, por onde andas , o que fazes, o que pensas e como amas.

E todas as vezes que lhe vejo, eu te quero... eu te desejo e isto nao dá para explicar... e volto a perguntar? Onde estas? Minha vontade é de sair ao mundo contaginado as pessoas com este sentimento que me faz sentir " VIVA" se todos soubessem o quanto é bom amar e sentir-se amada, o mundo seria mais colorido, as pessoas menos amarguradas, em fim seriam felizes...
A palavra em si talvez em si não se traduz pela dimensão que ela alcança "FELIZ" tão simples, porém é algo que a humanidade vive desatinadamente em busca.
E hoje tenho o grande privilégio de dizer que estou feliz com você.
Você me fez esquecer os problemas, reativou a chama da paixão na qual eu já estava descrendo e você foi capaz de atingi-la de forma sutil e meiga com seu jeitinho especial de menino travesso e é por isto e muito mais que escrevo no alt door do meu coração.
"Que você é especial, te adoro com paixão..."
Ass:EU